Readequação do terminal instalado em Confins permitirá expansão de 34%, prevê a BH Airport
por Mara Bianchetti

A capacidade do Cargo Center do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN), localizado em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), vai ser ampliada em 34% a partir de uma readequação do terminal de cargas. A medida foi uma alternativa ao projeto original da BH Airport, que previa a duplicação da área de cargas, diante do atual cenário econômico brasileiro. As obras terão início em julho e fazem parte do orçamento de R$ 750 milhões previstos em aportes pela concessionária no decorrer de 2016.

De acordo com o gestor da BH Airport Cargo, Peter Robbe, o projeto de duplicação não foi suspenso definitivamente, apenas postergado. Atualmente, a capacidade de movimentação de mercadorias no principal aeroporto de Minas Gerais é de 30 mil toneladas por ano. O plano de expansão original previa ampliar o limite para 60 mil toneladas/ano até 2017. “Infelizmente temos que reconhecer que a situação atual não é muito favorável. Por isso, decidimos investir nessa estrutura, por enquanto, e esperamos em breve poder retomar o projeto original”, explica.

Conforme Robbe, o novo modelo prevê uma remodelação do layout da estrutura do terminal de cargas. Em detalhes, ele calcula que a capacidade de exportação poderá ser dobrada e a de importação expandida em cerca de 40%. De maneira complementar, duas das cinco câmaras frigoríficas existentes no terminal foram verticalizadas, ampliando o número de posições de armazenagem de 90 para 171.

Além disso, o gestor destaca que até o fim deste exercício mais uma câmara será criada, ampliando ainda mais o espaço de estocagem; serão implantados o e-AWB – controle eletrônico de acesso de pessoas e veículos – e a certificação Operador Econômico Autorizado (OEA). “Essas medidas trazem também um foco em novos processos. Tudo isso vai proporcionar maior agilidade na movimentação e entrega das cargas”, avalia.

Conectividade – Ainda dentro do plano estratégico da concessionária de alavancar o fluxo de cargas no aeroporto de Confins, há a implementação de novas soluções em logística que visam promover o transporte aéreo de carga, a partir do interior de Minas Gerais. A ideia é fortalecer a conectividade do aeroporto a diversos destinos no Brasil e no exterior. Esse projeto será apresentado pela BH Airport na Intermodal 2016, que acontece na próxima semana, em São Paulo.

Para isso, Robbe explica que a concessionária está trabalhando em parceria com as empresas aéreas buscando novas rotas que interliguem as principais regiões industriais do Estado à Capital, de maneira a fortalecer o aeroporto como um hub de exportação e importação de carga.

Neste sentido, ele lembra que no foco da BH Airport estão os produtos da chamada “nova economia”, com cargas de alto valor agregado e baixo volume, como é o caso, por exemplo, da produção do Vale da Eletrônica, no Sul de Minas Gerais, que atualmente utiliza o modal rodoviário e aéreo, e de produtos de ciências da vida (biotecnologia, farmacêuticos e equipamentos médicos).

O primeiro passo dessa estratégia está sendo feito em parceria com a Azul Linhas Aéreas Brasileiras, por meio de um voo regular entre Confins e Varginha, no Sul de Minas.

Segundo o gestor, há grande chances de a companhia, em breve, disponibilizar também um cargueiro. “A ideia é justamente aproveitar o potencial e a demanda da região. Depois que conseguirmos consolidar o projeto lá, migraremos para outras partes do Estado. A próxima, provavelmente, será Montes Claros”, adianta.

 

Fonte: Diário do Comércio